Só por que é… HELENA LUNARDELLI, tem que ser bonito?

É com MUITO PESAR que venho fazer a primeira crítica ácida da história do …boCÁdo… .

Vim falar sobre a blogueira do F*Hits e menina muito linda, Helena Lunardelli.

Vi hoje um vídeo dela no portal do F*Hits entrevistando junto com a Nati Vozza, a papisa da maquiagem no Brasil e editora de beleza da Vogue Victoria Ceridono.

Este vídeo foi, na verdade, o segundo dela que vi em sequência hoje e, sinceramente, fiquei estarrecida.

O primeiro foi no portal da Natura Adoro Maquiagem. A habilidade dela em se maquiar foi, realmente, indiscutível. Assim como seu bom gosto. Mas a oratória… Meu Deus…

O blog começou há dois anos atrás [redundância. Ou começou há dois anos e ponto ou começou dois anos atrás] e o blog foi crescendo, crescendo, crescendo e hoje em dia virou uma coisa muito maior [jura? Que falta de argumento…]

Depois veio o depoimento clichê sobre gostar de maquiagem… Sempre adorou desde pequena, roubava as coisas da mãe e todo aquele roteiro de propaganda de margarina.

Veja o vídeo:

 

Em seguida vi o vídeo postado no portal da F*Hits (infelizmente não tem como incorporá-lo aqui, mas segue o link) e logo abaixo o comentário da leitora:

Então… Eu sou da opinião de que se não há nada de bom pra falar, que se cale. Mas vou ter que fazer coro com a leitora do comentário acima. Veja, se há um microfone posicionado perto da boca do interlocutor ou do entrevistado, é para que o som seja amplificado e a pessoa não tenha que gritar! Hoje já é o segundo vídeo da Helena que eu vejo e uma das minhas maiores observações é o volume e o tom da voz dela. Ela fala alto demais e como se estivesse com as amigas. Não transmite um pingo de seriedade e credibilidade nas coisas que fala. Neste vídeo, especificamente, não cuidou nem de usar um bom português. Quer dizer… Peraí! Você está produzindo um conteúdo que será visto por milhares de pessoas que depositam em você a confiança necessária para formar uma opinião, entende? Há que se levar isso a sério. Tudo bem que precisamos traduzir mensagens institucionais para uma linguagem inteligível, amigável, simples, mas daí a tornar tudo coloquial demais, não concordo. Helena passa a pura afetação característica de um seleto grupo de meninas mimadas e não de todo o resto de meninas normais que, muitas vezes, tem a imagem dela como espelho e nenhuma possibilidade de acessar esse mundo tão peculiar. A comparação torna-se nítida quando a entrevista é passada para o comando da Nati Vozza. Com voz e postura calmas, centrada e tão profissional quanto ela pôde ser, conduziu com muito mais credibilidade uma opinião tão relevante quanto é a da Victoria Ceridono – cujo nome, aliás, Helena nem conseguiu pronunciar direito. Abraços.

Anúncios

Elegância é… Escrever para quem vai ler

Acabei de ler o post de uma blogueira que, aparentemente, tem muito dinheiro! Ela tem um blog de viagens onde post com uma frequência invejável suas aventuras e nomeia os hot spots ao redor do mundo.

Trabalho ruim, né?

Mas de quê, eu me pergunto, DE QUÊ adianta ter dinheiro, ser viajada, ter um blog super acessado, se quando a gente abre o feed dá de cara com uma sentença elaborada assim:

“Se você está quer provar o mais famoso cupcake de NYC (da Magnolia Bakery) e não quer pegar aquela longa fila da Magnolia do Soho, você pode ir na unidade da Bloomingdale’s. Eu, pessoalmente não sou nem um pouco fã, pois acho que as calorias não valem a pena, pois para meu gosto não é bom não, mas parece que o povo gosta, pois as filas sempre estão longas na porta!”

Então meu conselho mínimo para quem quer dividir a vida nos blogs é: tenha consideração com os anos de escola que seus pais lhe pagaram e pelo menos revise o texto antes de publicar.

Ser elegante é, além de viajar de primeira classe e mala Louis Vuitton, saber escrever corretamente para aqueles que dedicam parte importante do seu tempo para ler o que você posta.