Diário SP – Day 2

No segundo dia, depois de passar uma noite meio do cão porque meu roomate roncava mais que uma britadeira, acordei, sem culpa e ainda sonolenta, às 3 da tarde. Éééééééé TRÊS-HORAS-DA-TARDE numa terça-feira. Perdi até a noção de onde eu estava, por que, fazendo o que, etc… Mas foi bom. Estava precisada de uma beeeela dormida.

A vista bonita que eu tive ao acordar: a cama de cima!

Tomei um bom banho numa ducha espetacular que tem no albergue, troquei de roupa e saí para comer já de mochila nas costas, pronta para ir pra HSM.

Sentei no Desfrutti, uma casa de comida natural na própria Leopoldo (Couto Magalhães Jr.).

A proposta do Desfrutti é ser mesmo uma boa opção de comida saudável para o dia a dia da turma que vive e trabalha na correria de São Paulo. Lá eles servem wraps quentes e frios, crepes salgados e doces, saladas, sanduíches naturais, grelhados, sucos e vitaminas, energéticos, cremes e saladas de frutas.

Abrem para o almoço, happy hour e jantar, entregam em casa ou no escritório e fazem eventos – parte mais legal!

Eu pedi um suco de beterraba, cenoura e laranja (que para mim tem um super gosto de infância) e um crepe de camarão com alho poró. (Mas confesso que fiquei super tentada a pedir um belo macarrão integral!). Estava tudo muito leve e muito gostoso!

Sucão de beterraba, cenoura e laranja. Perfeito!

Me mandei pra HSM para mais um dia de aula… E a vista do meu pôr-do-sol foi essa:

Ok, não é bem um pôr do sol, mas é o fim do dia no WTC. Te amo, São Paulo!!!

Na volta pra casa, conversei com o dono do albergue, que é uma simpatia, e comentei que meu “colega” roncava por demais. Ele, imediatamente, me trocou de quarto e me colocou junto com uma mulher, num quarto duplo.

Confesso que fiquei aliviada e a experiência do albergue tornou-se um tanto mais confortável. Dividir o quarto com uma mulher, ainda que desconhecida, é sempre bem menos tenso do que dividir com um homem, certo?

Dormi tranquila e passei a noite super bem. Mais tarde tem o terceiro dia de aventuras!

 

 

Anúncios

Hot spot SP: Café Santo Grão

Depois do primeiro dia de aula, para integrar, fomos eu e mais dois colegas (oi, Renzo! Oi, David!) tomar uma no Santo Grão do Itam (sugestão do Renzo. O capixaba mais paulista que eu já vi na vida…). Oba! Mais lugares pra eu conhecer na paulicéia!

O Santo Grão é um café super especial que tem 6 unidades espalhadas por São Paulo (Cidade Jardim, Higienópolis, Itaim, Oscar Freire, Moema e Vila Madalena) e um ambiente único em cada uma delas.

Chegamos às 23:00 de uma segunda-feira e mesmo assim fomos super bem atendidos!

A entrada é  linda, com tochas e velas iluminando a área externa que fica bem cheia e é super agradável. Para os dias mais frios, a galera que gosta do sereno e das estrelas pode ficar sossegada porque não faltam aquecedores. Lá dentro, um mesão comunitário e mesas normais para quem quer só tomar um café ou jantar tomando um vinho (pode levar sua própria garrafa. Eles cobram R$30,00 a rolha. Achei digno).

O cardápio é simples, descomplicado e parece ser uma delícia. No momento, estávamos mais para relaxar mesmo, então ficamos só na cerveja e beliscamos tipo uma mini pizza de funghi que estava uma delícia!!! Crocante, com os cogumelos suculentos… Nhami!!!

A noite foi super agradável e super engraçada também porque estávamos os 3 nerdando nos respectivos celulares!

Adorei a novidade! Pra ir de turma ou a dois (as velas propiciam um climinha romântico…).

Nossa convenção nerd. Dois iPhones e um Galaxy Note que colocamos de castigo para que pudéssemos conversar. Mas a tentação era grande de cada um sair correndo e pegar o seu.

Eu, David e Renzo… Stella Artois pra que te quero!

 

 

Hot Spot SP: SassaSushi

Depois de um longo e tenebroso inversno, eis-me aqui novamente para continuar contando da minha semaninha sonho em SP.

Como eu disse pra vocês, no primeiro dia fui almoçar com um amigo querido no Sassasushi.

Apesar de ser piolha do Itaim, não conhecia esse restaurante japonês delícia que fica na Avenida Horácio Lafer, 640! Tipo DO LADO do meu pouso oficial em SP.

Ambiente muito gostoso, atendimento de primeira, comidinha super bem feita, entradinha caprichada, buffet de pratos quentes e frios e, para terminar, um bom cafezinho!

Dizem que à noite lá fica bem melhor, mas eu não tive a oportunidade de ir. Pena! (Aliás, diga-se de passagem, eu só saí à noite em SP um mísero dia e nem foi pra baladinha… #véia)

Ah! Pra quem curte a praia de Juquehy, litoral norte de SP, eles também tem uma unidade lá!

Diário SP – Day 1

Oi, gente! Tudo?

Então… Essa semana estou em SP fazendo um curso de Marketing Digital e Mídias Sociais da HSM Educação.

Para quem não sabe a HSM Educação é parte integrante do Grupo HSM, que atua como elo entre executivos e o melhor conteúdo de management para tomadores de decisão em todos os tipos de empresa. Há mais de 20 anos, eles têm selecionado, adaptado e distribuído as ideias mais avançadas para aqueles que criam, lideram e transformam empresas.

A missão da HSM é antever os conhecimentos de que as empresas necessitam, transformando ideias de vanguarda em experiências de sucesso.

HSM no mundo:

A HSM Educação surgiu com o propósito de levar para sala de aula todo esse conhecimento, com cursos de alta qualidade, que proporcionam uma experiência de aprendizado global e contemporânea. Uma proposta que utiliza de forma plena as inovações tecnológicas para enriquecer, ampliar a experiência de aprendizagem. Um modelo que vai além da transmissão de conteúdo, transforma o participante em protagonista da experiência, inspira descobertas e provoca reflexões. Eles formam uma rede colaborativa aberta, que capta e integra conhecimento. Esta rede é formada por alunos, professores, empresários, executivos e, principalmente, os maiores pensadores e influenciados do mundo dos negócios.

E cá estou eu sugando tudo o que posso da “fessôra” Martha Gabriel e consolidando meu novo caminho rumo à carreira solo de Consultora de Mídias Sociais.

Vir para esse curso foi um desafio e uma conquista. Primeiro no âmbito financeiro: não é caro pagar R$1.200,00 para assistir um curso do nível que está sendo este (e acreditem, é um SENHOR curso). Mas para uma redatora em início de carreira e com filho pra criar é muito dinheiro. Isso fora passagem, hospedagem e alimentação.

Catei todas as economias e acertos da minha última recisão e comecei a procurar na cara e na coragem hotéis próximos que não me arrancassem os olhos da cara!

Caí no booking.com e encontrei um hostel (albergue) lindinho no Itaim Bibi chamado Atma. A proposta dos caras é sensacional! Criarm um albergue numa estrutura totalmente zen! Ofurô, sauna, massagens terapêuticas e estéticas, pilates, comida orgânica… Muito bom! E diária convidativa! R$99,00. (Incluso café da manhã, ofurô e uma aula de pilates.)

Apesar de ficar receosa em dividir o quarto com mais 3 estranhos, fiz minha reserva e às 09:28 de ontem embarquei rumo à terra da garoa (que nesses dias está mais pra Pólo Norte. Juro ter visto um pinguim atravessando a rua! Kkkkk…) pela TAM.

Como saí de casa famita e correndo (tenho trauma de perder vôo), tive que comer alguma coisa no aeroporto, né? Vai que a TAM entrou na onda de redução de custos e distribuía só amendoim, barra de cereal e água? TENSO!

Comprei um pão de queijo e um Toddynho. Juro que devia ter pó de ouro nos dois. R$7,80!!! Foi o café da manhã mais caro e mais safado que eu tomei na vida. Sem sacanagem.

Toddynho, oão de queijo e os olhos da minha cara!

Depois de esperar a delegalção do Palmeiras e o Felipão com aquela cara de fiofó com cãimbra embarcarem, lá fui eu rumo à poltrona 25C de um Aibus A320.

Parêntese para explicar tamanho detalhamento: eu tenho PAVOR de avião. Mesmo. E depois dos episódios da TAM estacionando dentro de um posto de gasolinha na Washington Luis (desastre da TAM há 5 anos que matou 199 pessoas no Aeroporto de Congonhas), e de Lost promovido pela Airbus e a AirFrance (a queda do vôo 477 AirFrance no Atlântico) eu tomei pavor de AirBuses e de Congonhas… Imaginem vocês o meu pânico de ficar tipo na cauda do avião, beeeeem lá atrás?! Se acontecesse alguma coisa eu ia ser a última a sair, gente!!! E o destino era qual?! CGH! (Sigla do Aeroporto de Congonhas.)

Mas ok. FOCO, OBJETIVO, FÉ EM DEUS.

O café da manhã da TAM estava ótimo! Salada de frutas, pão com presunto de peru e queijo branco e iogurte Nestlé. Ações patrocinadas são o que há, né? Olha:

Decolei e aterrissei rezando e quando o avião tocou o solo comecei a desfiar o rosário para que ele parasse logo.

Parou. Tudo bem. Todo mundo vivo. Desembarquei e fui pro hostel.

Delícia de lugar! Já conheço a vizinhança do Itaim Bibi e fiquei super tranquila. Dei uma relaxada e saí para almoçar com um amigo tão querido quanto antigo. Fomos num japa, o SassaSushi (dicas depois no HotSpot SP). Comi bem, matei saudades e voltei para uma massagem (ui, tô fina!).

Fui tomar banho e o chuveiro é daqueles must have em casa. Ducha Deca com vasão de água incrível!!! Banho quentinho, revigorante e pé na rua para vir pra aula.

Quando parei na frente do WTC meu coração começou a disparar. Quando entrei no prédio da HSM, na boa, tive vontade de chorar. Fiquei muito emocionada! Estou aqui! Sabe quando a novela começa a acontecer na sua vida? É isso que eu estou sentindo! Meu grande sonho de formação profissional é participar dos fóruns que eles promovem no final do ano. Mas enquanto esse dia não chega, conseguir fazer um curso aqui é um grande diferencial na carreira. É como uma aula de futebol com o melhor jogador do mundo, uma voltinha num F1 com o Alonso, ou um sapato Louboutin.

Por causa do trânsito inferno dessa cidade, cheguei um pouco atrasada. E quando entrei na sala, lá estava a Martha Gabriel. Me segurei muito para não ter um faniquito de fã e ir pedir um autógrafo gritando: “você é minha ídola!”

A aula foi maravilhosa! Ela é uma simpatia de pessoa. Atenciosa, prestativa, educada. Lá pelas tantas me senti em casa e comecei a me soltar. Participei um monte, fiz perguntas, enfim… E achei mega engraçado porque é a primeira sala de aula em que a gente pode ficar no Facebook, Twitter e demais redes sociais sem que isso seja um crime! Kkkkkkkkk!

Já me enturmei com a galera e é impressionante como os perfis são diferentes… Como cada um tem um objetivo com esse curso. E o mercado está aberto para todo mundo!

Saímos da aula 23:00 e fui com mais dois colegas tomar uma cerveja no Santo Grão – também no Itaim. (Também coloco resenha no HotSpot SP depois.) E, sério, qualquer Sheldon Cooper ficaria com inveja do nosso papo! #nerd

Voltei pra “casa” feliz e já triste porque sei que vai ficar um gostinho de quero mais.