SPFW SS 2012/2013 | Primeiro dia – Fause Haten

Apesar da crítica desfavorável publicada no Chic, Fause Haten foi um dos meus preferidos no primeiro dia da semana de moda de São Paulo.

A começar pela trilha sonora. Foi impactante ver Paula Lima e seu vozeirão, acompanhada por um belo piano, imprimindo todo o drama necessário ao desfile marcado pela feminilidade e pelo luxo de bordados extremamente bem estruturados.

Juro que me arrepiou toda esta obra dando as boas vindas a este primeiro look:

Me emocionei como nunca, em quase sete anos acompanhando semanas de moda, ao ver uma modelo negra, ornada de um cabelão black power, surgir toda trabalhada no PODER de uma capa de tafetá amarelo, um vestido justo chique e divertido ao mesmo tempo, com um belo decote, ostentando um colar TODO superlativo (maxi, power, statement necklace).

Quando vi esse vestido surgir na passarela, tive vontade de chorar! Que tecido lindo, que estampa perfeita, que caimento, que fluidez, que coisa mais deusa, ninfa! Ombros de fora complementam a sensualidade despretensiosa da mulher que sabe o seu lugar e o poder que tem. E não precisa de muito mais do que uma bela roupa e sua personalidade para brilhar.

Transparências e fendas pra lá de elegantes também deram o ar da graça para coroar belas rainhas que não precisam de um pingo de exibicionismo para se fazerem notadas. Sua presença é quase etérea.

Para dar o tom da fantasia, curtos e longos em transparências reveladoras fizeram-se presentes com corpetes estruturados sobre rendas e bordados sobre maiô de tafetá.

E para o gran finale, não poderia faltar dois pretos longos: o primeiro todo em renda e o segundo todo bordado com uma fantástica capa branca dando o tom do contraste.

Em tempos de “pegadas esportivas” invadindo o mundo fashion feito uma virose, digo que o desfile de Fause Haten foi uma lufada de inspiração, sonhos e elegância numa terra dominada por uma moda massificada.

Anúncios

Elegância é… Escrever para quem vai ler

Acabei de ler o post de uma blogueira que, aparentemente, tem muito dinheiro! Ela tem um blog de viagens onde post com uma frequência invejável suas aventuras e nomeia os hot spots ao redor do mundo.

Trabalho ruim, né?

Mas de quê, eu me pergunto, DE QUÊ adianta ter dinheiro, ser viajada, ter um blog super acessado, se quando a gente abre o feed dá de cara com uma sentença elaborada assim:

“Se você está quer provar o mais famoso cupcake de NYC (da Magnolia Bakery) e não quer pegar aquela longa fila da Magnolia do Soho, você pode ir na unidade da Bloomingdale’s. Eu, pessoalmente não sou nem um pouco fã, pois acho que as calorias não valem a pena, pois para meu gosto não é bom não, mas parece que o povo gosta, pois as filas sempre estão longas na porta!”

Então meu conselho mínimo para quem quer dividir a vida nos blogs é: tenha consideração com os anos de escola que seus pais lhe pagaram e pelo menos revise o texto antes de publicar.

Ser elegante é, além de viajar de primeira classe e mala Louis Vuitton, saber escrever corretamente para aqueles que dedicam parte importante do seu tempo para ler o que você posta.