“E olhar pra hoje cheios de orgulho, eu voltaria atrás no tempo.”

A vida é assim. Os pensamentos não tem hora para acontecer. A verdade não tem hora pra chegar. Doença não avisa que vem. Tristeza não te coloca a postos para escrever quando você quer. Você não vê que errou a tempo de corrigir. As intenções do outro não são as suas. As coisas não são exatamente do jeito que a gente sonha. E o que saiu da rota não tem manual de instrução. As pessoas te pedem confiança, mas não confiam em você. E é assim: no meio da festa, em qualquer dia de madrugada, no meio da greve dos médicos do plano de saúde, às vésperas de uma entrevista importante, quando pronto-socorro nenhum tem ultrassom de plantão. O que foge do nosso controle na vida é igualzinho apendicite. Só que algumas apendicites tem nome. Às vezes o nome é apendicite mesmo. Outras é uma gravidez nas trompas. Outras é um relacionamento que tinha tudo pra dar certo, mas não deu. Outras é um câncer num pulmão de alguém que nunca fumou. É assim. E é difícil a gente acreditar, aceitar. Porque pra tudo a gente fez um plano. E nos frustramos. Fizemos planos pra festa que não vamos poder ir. Pro filho que não vai nascer. Pra união que não vai ser eterna nem enquanto durar. Pra carreira que não vai acontecer. E a gente tem que estar pronto pra essas conclusões num virar de chave. Há um segundo era assim. Agora não é mais. Lide com isso. O beijo que sugeria um namoro, um romance, um entrelaçar de dedos, a ressurreição daquela paixão de antes, quem sabe um bilhete na manhã seguinte, na verdade, era só sexo. Só. Sexo. O sapatinho vermelho de sair da maternidade, sei lá, vai desfiar, se perder entre tantas outras coisas que a gente perde. Os cabelos vão cair junto com as lágrimas de alguém que nunca fez por merecer a provação pelas quais há de passar a partir do diagnóstico. E nessas horas a gente pede pra dormir e pro tempo passar rápido. Pra não perder a fé de que tudo vai dar certo, de que Deus escreve certo por linhas tortas, de que a gente tem sempre que aprender com as coisas. E eu sei que apendicite supurada cura. Eu mesma sou cheia de clipes cirúrgicos estranhíssimos na barriga. Mas não me incomodam em nada. Que a gravidez interrompida pode ter sido para dar lugar a dois outros bebês muito mais saudáveis. Que o relacionamento que não deu certo serviu pra te amadurecer para aquele que vai dar, que vai ser um namoro eterno mesmo com 3 filhos, um cachorro e um perrengue de grana. Que o câncer te levou os cabelos, mas te trouxe o amor de verdade. Mas até lá dói. Pensar em fazer as malas para mudar de fase da vida dói. Porque quando a gente está confortável numa situação até o que é ruim a gente pensa “ah, vai dar tanto trabalho sair daqui” ou “putz, deu trabalho chegar aqui pra ir embora…” Como diriam os Engenheiros do Havaí (embora esse texto não tenha sido inspirado na música deles): eu não vim até aqui pra desistir agora. Mas também cantou o Barão Vermelho que:

Pra voltar pra ontem

Sem temer o futuro

E olhar pra hoje

Cheio de orgulho

Eu voltaria atrás do tempo

Eu voltaria atrás

Atrás do tempo

Voltar atrás no tempo é fazer hoje o que você quer se orgulhar de ter feito quando o futuro chegar e você olhar pro que fez. É bater no peito e dizer: eu tive coragem. Porque uma amiga, que já foi prima torta, me disse há bem pouco tempo: você é corajosa. Acho que ter coragem valida a gente. Coragem não significa imprudência, inconsequência. Significa levantar as saias e correr, mocinha! Dar a mão pro marido e tentar de novo. E de novo. E de novo. Até que a barriga cresça e a criança, o sonho nasça. E a família aumente. Aceitar o trabalho que te desafie a ficar dois meses longe de casa. De novo. E encarar que, talvez você faça falta ou talvez você faça as malas. Pra sempre. E vá ser feliz em outro DDD. Ou DDI. E se descobrir um super ser humano, uma super força pra passar por tudo tomando uma gelada no domingo, distribuindo sorrisos lindos, com o seu amor igualmente lindo, e chegar do outro lado com orgulho. É isso aí.

E a gente fez

Nosso futuro

Quase quebrando

O nosso mundo

 

 

Anúncios

Deixe um bocadinho de você...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s